sábado, 9 de julho de 2011

Christiane F. – Wir Kinder vom Bahnhof Zoo



Hoje falarei sobre um filme antigo (mais exatamente de 1981) que é relativamente famoso e que eu adoro. Baseado numa história verídica que fora transformada em livro, Christiane F. te prende a todos os detalhes e você sofre com a protagonista, e sofre muito. Os atores fizeram um trabalho magnífico, uma vez que eram estreantes, e o roteiro era extremamente denso para
uma menina de apenas 15 anos (que interpretava uma de 13).

"Este filme retrata a cena de drogas em Berlim nos anos 70, após entrevistas de Christiane F. Christiane, de 14 anos de idade, vive com sua mãe e irmã em um prédio típico de vários andares, em Berlim. Ela é fascinada pela 'Sound', uma discoteca nova com a maioria dos equipamentos modernos. Embora ela seja legalmente muito jovem, ela pede a uma a
miga para levá-la. Lá ela conhece Detlef, que está em um grupo onde todos usam drogas. Passo a passo, ela fica mais atraída pela cena."
Sinopse do filme (traduzida do IMDb)

Além do filme, a história por trás dele é muito interessante e eu até sugiro uma pesquisa antes. Como todas as personagens são pessoas reais, existem outras histórias além da retratada no filme. Quem assiste a ele começa a pesquisar sobre essas "crianças do Zoo" e não para mais. Por exemplo, Detlef (o par de Christiane no filme) nega alguns fatos ocorridos naquele tempo sombrio de sua vida e hoje em dia é um pacato motorista de ônibus na cidade de Berlim. Christiane não teve a mesma sorte, sucumbiu ao vício novamente e se encontra sem a guarda de seu filho e sem seu namorado (segundo a Wikipedia). Participou de filmes e de uma banda de rock, e em 2008 assumiu que tinha voltado às drogas - apesar de em alguns sites aparecer que ela nunca largou efetivamente delas-.

A verdadeira Christiane F. décadas atrás

Outro ponto positivo para o filme é a trilha sonora, feita por David Bowie (Christiane era superfã dele). A protagonista inclusive vai a um show de seu ídolo e usa cocaína pela primeira vez, antes de se afundar na heroína.




ASSISTAM!

Nenhum comentário:

Postar um comentário